Trono Negro
Seja bem vindo a Trono Negro

Registre-se primeiramente e leia a mensagem de boas vindas em sua caixa de Mensagens Privadas

Wellcome to the jungle..


Fórum, destinado à Play By Forum, utilizando o sistema de RPG Vampiro: A Mascara produzido pela White Wolf.
 
InícioGaleriaPortalFAQMembrosRegistrar-seLogin

Compartilhe | 
 

 Memorias do Sr Leon

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Memorias do Sr Leon   Qui 13 Ago 2009, 18:15

[b] Você esta andando proximo a uma estação de onibos quando o vento joga um envelope preto contra o seu peito quando voce o pega olha para parte da frente e ve que as abas estão coladas com sangue, quando voce vira o envelope preto, voce ve que esta escrito " memorias do Sr.Leon"

Imagem do versu do envelope:
Spoiler:
 
Quando voce o abre ve alguns papeis e então você decide se sentar no banco da estação e começa a ler:


Meu nome é Leon, nasci entre 1900 a 1950 eu acho (na verdade em 1900 mas o Sr. Leon não sabe) mas irei contae que foi em 1950, na Espanha, em uma noite, ja não sei mais em que mês nem mesmo o nome de meus pais, mais lembro um pouco da face de minha mãe quando me dizia que eu tinha nascido em casa, no meio da madrugada, sobre meu nacimento e tudo que eu posso me lembrar.

[i][font=Courier New]1960:

Me lembro dessa noite em minha infancia eu tinha dez anos de idade, estava na velha manção de meu pai, lembro ter me aproximado da fogueira, o calor me incomodava, mamãe dizia para eu sair e ir brincar na rua mas eu não gostava disso, então eu costumava me trancar no quarto e ficar desenhando as coisas que eu imaginava, me lembro do dezenho que fiz nesse dia, era o desenho de um homem estranho, deformado, mas não sabia por que motivo eu o estava desenhando.

Ainda nesse ano eu me lembro quando papai me chamou para jogar bola com os meninos, eles tentaram me tirar da rotina, escola para casa, casa para escola. Nesse dia papai havia me comprado uma bola disse que todos os dias a noite ia me levar para brincar com os meninos da rua, mas eu não gostava da ideia eu nem sabia jogar bola, nem mesmo gostava de sair para brincar, mas eu não tive escolha papai me incistiu tanto para eu ir que acabei indo, a unica coisa que me lembro do jogo é que eu havia feito tudo errado, os meninos me olhavam e soltavam gargalhadas da minha cara, eu comecei a chorar e corri para casa, e me decidi que nuna mais ia sair para brincar.

1965 :

Eu tinha 15 anos, me lembro desse dia como se fosse hoje, estava entrando no onibos da escola, quando vi uma linda garota, o vento da janela fazia seus longos cabelos loiros voarem, o sol batia e o fazia brilhar, seus olhos azuis me encantaram, eu tinha de conhecer essa garota, era linda e encantadora, então eu sentei dois bancos atras dela, ao lado de um colega e perguntei se ele a conhecia ele disse que não, dizia ser a aluna nova. Ao chegar na escola eu me sentei perto dela, e comecei a responder as perguntas dos professores para chamar atenção dela, mostrar que eu era inteligente e esperto. No intervalo meus colegas me insentivaram a falar com ela, eu não deveria ter dado ouvidos, eu fui ao patio para falar com ela, me lembro de ter visto alguns de meus colegas se escondendo atras de bancos e etc. Para poder ouvir a conversa, quando eu falava com ela por algum motivo eu não conseguia me expressar, não parava de gaguejar, ela olhou para mim rindo mei timida tambem, cobrindo a a boca com as mãos, para desfarçar as risadas, ai ela olha pra minha cara e me chamou de "tapado" eu abaichei a cabeça olhei para minha sombre e me perguntei: - Sera que minha vida sera assim apenas escuridão e sombras? meus colegas se levantaram eu podia sentir as risadas antes de começarem, mas um vento forte soprou e eu ouvi algo como um susurro - Sim.. parecia que estava me respondendo olhei para tras e não vi nada, apenas meus colegas se levantando e soltando gargalhadas. Ja nem me lembro do final deste dia e nem quero me lembrar, mas consigo imaginar o rosto dessa garota ate hoje.

1970 :

Eu estava para completar 18 anos, ia comemorar com meus colegas para não passar meu aniversário sozinho, me lembro de ter convidado poucas pessoas, mas eu tinha certeza que minha vida iria mudar, estava determinado a sair da Espanha e mudar minha vida, escrever minha propria história, porem não me lembro muito do meu aniversário, sei que no final das contas ninguem alem de algumas pessoas da familia foram comemorar. Tento me esquecer desse dia ate hoje.

1980:

Eu estava em meu apartamento na Alemanha, era uma noite fria, eu tinha voltado pro meu apartamento de mais um dia de trabalho, eu aabri a porta, entrei na cozinha esquentei um café, peguei uma chicara, liguei o radio bem baichinha, para não me sentir sozinho, sentei em uma poutrona vermelha e fui ler meu jornal. Algumas horas de leitura ja estava ficando tarde fui me deitar, me lembro que assim que me cobri com os cobertoreso telefone tocava, eu apenas abri os olhos novamente me perguntava "Quem sera a uma hora dessas?" eseprei o telefone tocar um pouco, me levantei e atendi, me lembro das falas ate hoje:

- Álo, é o Sr. Leon? *uma voz feminina desesperada falava ao telefone, fiquei preucupado não sabia o que se passava*
- É sim o que esta havendo? *eu perguntava tentando me manter calmo*
- Não quero conversar com voce, quero avisar-lhe que seus pais sofreram um acidente de carro, estão em estado gravissimo, volte para Espanha urgente eles querem falar com você.

O telefone desligava na minha cara eu ouvia o barulho de quando se desligava o telefone fiquei alguns minutos com o fone no ouvido, em estado de choque, ate que derrepente eu acordei pra realidade, desliguei o telefone e me arrumei e fui direto para Espanha. a madrugada se passou a sol estava nascendo e eu consegui chegar no Hospital, porem não cheguei a tempo, um dos medicos me encontrou e disse que eles haviam falecido no meio da madrugada e ele me deu um pedaço de papel escrito pelo meu pai, que eu tenho ate hoje mas colocarei dentro deste envelope para que voce tambem leia:

Spoiler:
 

Então eu me sentei em um banco no hospital sem saber se chorava, sem saber se me matava, sem saber o que fazer mais sabia que teria de aceitar essa realidade.

1972 :

Dois anos apos a morte de meus pais, eu tinha aproximadamente 30 anos, não me lembro de muita coisa deste ano apenas de algo que iria marcar a minha vida para toda eternidade. Eu havia me mudado para New York, era noite e estava andando pela rua voltando de meu trabalho, me deparei com uma "criatura" de feição muito estranha e desagradavel seu nome e Raphael Carmon, era uma pessoa feia e estranha, o local estava muito escuro mas quando olhei em seu rosto me lembrei de um desenho que eu havia feito quando era criança o desenho e o homem eram identicos, ele começou a falar bem baixinho como se estive-se susurrando, me lembrei dos meus 15 anos quando eu eu ia quando ouvi o vento susurrar "- Sim.." ele vinha dizendo meu nome, não me lembrava de se o conhecia, ele dizia que podia me oferecer uma ótima vida, pediu-me para o acompanhar, eu sei que não era o certo a fazer, mas de alguma forma, de forma inconciente eu o segui, quando me dei conta eu estava no esgoto, apenas ouvi um barulho ele parecia estar rugindo avançava contra o meu corpo me segurava com firmesa usei, achei que iria me matar, ele mordia meu pescoço como um animal, estava confuso e desmaiei. Acordei na minha cama em meu apartamento achei que era um pesadelo, mas corri para o banheiro ver se tinha cicatrizes em meu pescoço, mas quando olhei para o espelho eu me assustei achei que estava olhando outra pessoa, era estranho, naquele momento eu enloqueci, dei socos no meu banheiro quebrei tudo que estava pela frente, e me deparei com aquele homem na minha sala, ele segurava meus braços e logo apos que me soltou me deu um soco na barriga me lembro de ter voado para a parede, ele era muito forte e me disse para eu me acalmar, e começou a me explicar umas coisas (baboseiras....falou sobre tradições, vampiro, clãs, seitas e etc..)

1976 :

Alguns anos se passaram e de certa eu esqueci meu sobre nome, esqueci minha imagem de antes do abraço, esqueci o nome dos meus pais, da garota que eu amava e de certa forma eu me acostumei com minha nova vida, porem eu faria qualquer coisa para voltar ao meu passado e mudar minha história, não gosto da vida que levo mechendo com armas, facas, espadas, matando, bebendo sangue, perseguindo, caçando, eu queria voltar a ser aquela criança sair do quarto ir pra rua brincar, por mais que rissem de mim eu era feliz e não sabia.

1989 :

Mais anos se passaram e eu me lembro perfeitamente deles porem quero falar sobre algo importante durante esses anos conheci Maxy Milian, ele se apresentava como sendo ventrue, me procurou para saber de algumas coisas me deu um pouco de dinheiro e arma, ele queria achar um brujah, motivos não sei quais mais e assim que ganho meu dinheiro, porem ele me procurou outras vezes, e acobou se aliando a mim, me dava o que eu precisava em troca de informações, e alguns tempo se passaram e ele me apresentou Cassandra de Castro, que tambem se apresentava como ventrue ele disse que eu poderia contar com ele, disse que ela faria mesma coisa que ele, e disseram tambem que um dia quando eu precisa-se de ajuda podia procura-los tambem.

1992 :

Passaram-se alguns anos e não conseguia me sustentar vendendo informações, então procurei por pessoas importantes e conheci Sharles Patrom ele se apresentava como gangrel, e possuia diversos contatos, ele disse que não queria me ver muitas vezes mas me deu um telefone para que pude-se manter contato com ele, e ele me consseguia bons trabalhos para eu conseguir um dinheiro estra então atraves dele comecei a caçar recompen-sas.
Voltar ao Topo Ir em baixo
 

Memorias do Sr Leon

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Trono Negro :: Baboseiras e tolices (Espaço off) :: Espaço para Contos.-