Trono Negro
Seja bem vindo a Trono Negro

Registre-se primeiramente e leia a mensagem de boas vindas em sua caixa de Mensagens Privadas

Wellcome to the jungle..


Fórum, destinado à Play By Forum, utilizando o sistema de RPG Vampiro: A Mascara produzido pela White Wolf.
 
InícioGaleriaPortalFAQMembrosRegistrar-seLogin

Compartilhe | 
 

 Só mais uma noite... ou não!

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Virgo Straus Sephe Thymon
The Gammer
The Gammer


Nº de Mensagens : 190
Idade : 105
Localização : New York
Descrição física : Aparenta ter entre 20 e 35 anos, físico magro e 181 centímetros de altura. Comporta-se quase sempre com elegância, usa somente roupas finas, gosta de se vestir com seus ternos e camisas, calça sapatos caros e botas ocasionalmente, usa gravatas quando necessário, não usa relógios nem óculos. Sempre bem perfumado, usa maquiagem para disfarçar sua palidez.
Data de inscrição : 06/07/2010

MensagemAssunto: Só mais uma noite... ou não!   Sex 16 Jul 2010, 09:43

Era terça-feira, 22h26min, naquela noite Virgo não foi tocar em lugar algum. Estava em sua casa luxuosa, sozinho, como a maioria de suas noites, apesar de algumas ele passar ensaiando com Adrew, mas não esta. Estava no seu quarto, se arrumando para sair, pois não havia se alimentado ainda aquela noite. Pretendia seduzir alguma mulher inocente e trazê-la para sua casa para se alimentar dela enquanto estivessem ocupados. Virgo vestiu uma camiseta de cor preta que tampava parte de seu pescoço, colocou um sobretudo simples, não muito longo, preto, e o deixou aberto, uma calça também simples, de cor azul escuro, quase preto, calçou um de seus sapatos caros, pretos, e por fim colocou um cinto preto também, de fivela bem simples, que sua camiseta escondia, e deixou seu longo cabelo negro solto.




Pegou sua carteira, conferiu se seus documentos, dinheiro e cartão de crédito estavam lá, pegou também seu celular e chave de seu carro, um BMW Z4 Roadster, de cor prata, e por ultimo checou os alarmes da casa, então saiu pela porta de frente, foi ate a garagem, abriu e entrou em seu carro, e começou a dirigir.




Estava indo para o White Horse Tavern, que ficava em Greenwich Village, era um bar conhecido por sua cultura boêmia dos anos 1950 e 60, que Virgo gostava de ir às vezes por ser um dos melhores e poucos lugares para escritores e artistas deste período.





Minutos depois, chega ao local, Virgo estava com o teto de seu carro no modo conversível. Estacionou seu carro, desceu, trancou-o e se dirigiu para o estabelecimento, White Horse Tavern. Entrou no bar e começou a olhar em volta: havia três homens com vestes normais, sentados em uma mesa, conversando entre si e bebendo cerveja; dois homens e duas mulheres com vestes mais elegantes, sentados em uma mesa separada, tomando água, cerveja e comendo pratos de comida; um homem sentado no balcão, concentrado escrevendo algo em seu laptop e um copo de alguma bebida incolor com gelo do seu lado.

Então Vigo encontrou o que foi procurar. Havia uma mulher, aparentava ter entre vinte e trinta anos, magra, pele branca, olhos verde-azulados, cabelos castanho escuro, pouco abaixo do pescoço, bonita, estava sentada sozinha no balcão tomando algum tipo de bebida vermelha em uma taça. Virgo usou sua disciplina Auspícios para enxergar a aura da mulher, pode ver que azul claro estava se destacando mais, havia também um pouco de vermelho vivo e verde claro. Ele então andou em direção ao balcão e sentou-se a uma cadeira de distância da mulher, o tendente se aproximou, era um homem de boa aparência, usava um terno simples:

-Boa noite, o senhor deseja algo? Perguntou o homem a Virgo.

-Uma taça do melhor vinho tinto que tiver, por favor. Respondeu Virgo com uma voz suave, enquanto se apoiava com o braço esquerdo no balcão e fazia um gesto com o dedo indicador da outra mão.

-Sim senhor! Disse o atendente enquanto se afastava. Virgo percebeu que a aura da mulher sumia com o verde claro enquanto dava lugar para o vermelho vivo, começava também a ter traços de escarlate. Usou então sua disciplina Presença para tentar fazer a mulher se interessar e vir falar com ele. Menos de um minuto depois, pelo momento que o vinho de Virgo chegou, a mulher ao seu lado olhou para ele e disse:

-Nunca vi você por aqui. Então Virgo virou-se para falar coma mulher.

-Não costumo freqüentar muito, mas já vim algumas vezes. Nunca a vi aqui também, costuma vir muito?

-Não muito na verdade. Respondeu a mulher e em seguida deu um leve sorriso.

-Como se chama? Virgo perguntou

-Me chame de Anne. E você?

-Thymon, Virgo Thymon! Disse Virgo enquanto pegava na mão de Anne.

-Oh meu deus! Virgo Thymon, o pianista? Perguntou a mulher espantada.

-Sim, sou eu mesmo. Ele respondeu com um sorriso simplório.

-Seu rosto bem me parecia familiar, eu fui a uma apresentação sua há alguns meses atrás, no Radio City Music Hall, foi simplesmente fantástico!




-Muito obrigado! De fato, irei me apresentar lá novamente no próximo sábado. Se desejar, posso lhe conseguir um convite.

-Sério? Eu adoraria! Anne respondeu com entusiasmo.

-É sempre bom encontrar pessoas que apreciam minha música. Disse Virgo sorrindo.

-É fácil, quando a música é tão boa. Anne sorriu.

-E o que você faz?

-Sou jornalista, não faço nada no meio artístico, mas sou uma grande apreciadora de artes, principalmente a música.

-Que interessante! Em que jornal você trabalha?

-Eu e mais duas pessoas escrevemos para a parte de eventos na cidade, do New York Times.

-New York Times? Impressionante!

-Abrigada! Anne respondeu sorrindo.

-O que uma moça bonita como você, que trabalha no New York Times, faz sozinha aqui? Não tem alguém para acompanhá-la, ou apenas quis sair sozinha?

-Está me cantando, ou é apenas curiosidade?

-Bem, um pouco de cada devo dizer. Virgo sorriu meio sem graça.

-Não, não há ninguém para me acompanhar. E quanto a você?

-Apenas a noite me acompanha.

-Hm, e quanto à mulher que faz apresentações com você, Adrew?

-Somos penas bons amigos que tocamos juntos. Ele percebeu que a aura da mulher agora estava mais escarlate, também havia violeta, e ainda tinha vermelho vivo

-Você ainda nem tocou em sua bebida, estou te atrapalhando? Anne percebeu.

-Não, de forma alguma! É que você é mais interessante. De fato... Virgo então se inclinou para se aproximar mais de Anne.

-Eu estava pensando em sair daqui... Com você! Então Anne imitou o gesto e disse suavemente:
-Hm, eu adoraria! Virgo se virou para o balcão novamente e chamou o atendente. Pediu sua conta e a de Anne, e as pagou com seu cartão de crédito.

Anne e Virgo saíram juntos, ela não tinha carro, estava andando de taxi. Entraram no carro de Virgo e Anne perguntou:

-Para onde vamos?

-Quer ir para minha ou sua casa?

-Você mora longe daqui?

-Jumel Terrace, 65.

-Bem perto. Moro na Wall Street, 75. Importa-se de irmos para sua?

-De forma alguma. Virgo então começou a dirigir em direção a sua casa.




Quando chegou, guardou seu carro na garagem e então desceram. Virgo levou Anne para seu quarto, então começaram a se beijar até irem para a cama de casal que ele dormia. Com as luzes apagadas, enquanto estavam abraçados, Virgo aproveitou para se alimentar, ele a mordeu bem na artéria do pescoço, mas ela estava tão entretida, que o prazer da mordida era tudo com o que ela se importava naquele momento, não se importava com os termos técnicos de o que ele estava fazendo. Virgo parou de sugar logo após sentir que não precisava de mais por aquela noite, e então lambeu a ferida sem derramar sangue; após se satisfazer e satisfazer a moça, ela não o perguntou detalhes sobre o que foi o prazer da mordida. Ele pegou o número do telefone de Anne e depois a levou para casa.

Já eram 04h30min da manhã quando Virgo estava voltando para casa, precisava chegar logo, pois o sol não iria demorar a nascer, foi quando recebeu um telefonema com um número desconhecido. Ficou um pouco receoso em atender, mas o fez:

-Alô?

-Virgo, aqui é Giovane Gomez!

-Giovane? Quanto tempo! Como vai?

-Escuta, eu não liguei para conversar, preciso muito de sua ajuda, é urgente, por favor!

-O que está acontecendo? Seu trabalho te pôs em problemas? Eu lhe avisei que isso iria acontecer...

-Não há tempo para explicar agora, por favor, você é o único que conheço que pode me ajudar!

-Me conte o que está acontecendo Giovane!

-Preciso me esconder por um tempo, não tenho para onde ir e não há ninguém mais que eu possa confiar.
Tive uma confusão com alguns Membros, um pequeno mal entendido e agora estão atrás de mim. Posso ficar em sua casa por algum tempo?

-Não gosto disso... Não sei, eles não irão te seguir? Onde você está? Que Membros são estes?

-Estou em Bridgeport, escondido no Seaside Park, perto da água. Eu te explico mais pessoalmente, mas preciso que você me busque agora!

-É muito longe, estou perto de Wall Street, não há como te buscar antes do sol nascer, você precisa encontrar um lugar para se esconder até a próxima noite!

-Não há como, eles irão me encontrar! Por favor, precisa me salvar!

-Droga Giovane! ... Vá para a parte sul, depois nade ate Ellsworth Park e me espera lá!

-Tudo bem, muito obrigado, de verdade Virgo!

-Não me agradeça ainda, não estamos a salvo. Virgo desligou o telefone e acelerou para ir salvar seu amigo, era um bom motorista, mas estava arriscando muito dirigindo em tal velocidade na cidade. Precisava pensar em algo, pois sabia que não daria tempo de buscar Giovane e voltar para casa antes do nascer do sol.






(continua... ou não!)
Voltar ao Topo Ir em baixo
 

Só mais uma noite... ou não!

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Trono Negro :: Baboseiras e tolices (Espaço off) :: Espaço para Contos.-